Aconteceu no último sábado, 21/08, na Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz e São Vicente de Paulo, em Vitória da Conquista, a Jornada Vocacional 2021, destinada a todos os jovens e adultos que buscam discernir sua vocação, nesse ano, com tema: Cristo nos salva e nos envia.

A Jornada começou com a presença de Jesus Eucarístico, com a Adoração ao Santíssimo Sacramento, conduzida pelo Pe. Alexandre Márcio, Pároco da Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz e São Vicente de Paulo.

Após a Adoração, os jovens, Pâmela, Vocacionada à Comunidade Católica Shalom e Gabriel, Paroquiano da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santo Antônio de Lisboa, fizeram a abertura do Momento de Testemunhos, onde o Pe. Alexandre Márcio e o Pe. Uatos Pires comentaram um pouco sobre a sua Caminhada Vocacional.

Em sua, fala, o Pe. Alexandre ressaltou a importância da Vocação, e que nós somos chamados a responder o chamado de Deus todos os dias. Após, Pe. Uatos, Reitor do Seminário Propedêutico e Diretor do SAV Arquidiocesano, ressaltou a saudade que todos estavam dos encontros vocacionais e convidou a todos a repetirem: Vocação acertada, vida feliz !

O Pe. Uatos, encerrou sua fala, convidando os jovens a uma pequena apresentação coreográfica no corredor central da Igreja, e logo depois, o Pe. Frenilson, Reitor do Seminário de Filosofia Nossa Senhora das Vitórias, fez o uso da palavra, convidando o Pe. Chaybom, Reitor da Casa de Formação Pe. José Dias Ribeiro Sobrinho, CSS.

O Pe. Chaybom iniciou seu testemunho, compartilhando um pouco do Carisma Estigmatino e às funções as quais os membros da Congregação que aqui servem se dispõem a aceitar: Servindo a Diocese naquilo que lhe é necessário. Também, recordou que antes de Presbítero, ele é Consagrado, em votos de Castidade, Pobreza e Obediência.

Retornando à palavra ao Pe. Frenilson, os jovens tiveram um momento formativo sobre o autoconhecimento, à luz do tema, onde Cristo nos salva e nos induz à dignidade. Sendo esse, o primeiro momento do reconhecimento da vocação.

E assumir a vocação, nas diversas realidades é oferecer ao Senhor a nossa vida, pelo bem que Ele nos faz.

A Igreja, como Mestra e Mãe, tem como objetivo, orientar aos jovens o seu discernimento vocacional. E convidou a todos a se lembrarem da Virgem Maria, que, em seu canto do Magnificat, disse: O Senhor fez em mim maravilhas. E de que todos temos que nos abrir às maravilhas que Deus quer operar em nossas vidas, independente da vocação escolhida.

Ao término de sua pregação, o Pe. Frenilson convidou aos jovens a realizarem a um momento de louvor, onde eles, puderam por meio da dança, vivenciar a leveza da escolha da vocação.

Terminado o Momemnto de Louvor, a Ir. Lopes, da Congregação das Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena, foi convidada pela equipe de apresentação, à dar testemunho de sua caminhada vocacional.

A Ir. Lopes disse que Deus nos chama de onde nós estamos e que Ele nos envia para onde Ele quer e que devemos pôr nossa existência na presença d’Ele. E que nos seus mais de 60 anos de vida religiosa, a mão de Deus sempre se fez presente. E continuou dizendo que o processo de encontro vocacional se faz muito parecido com o encontro de Jesus com Mateus, onde, Jesus diz: Vem e segue-me.

O Seminarista Vitor, da Diocese de Livramento de Nossa Senhora, complementou o momento dos testemunhos, retornando ao ano de 2005, onde ele participou do primeiro encontro vocacional. Entretanto, afirmou, que por mais de dez anos, fugi do Chamado de Deus.

Continuou, dizendo, que muitas são as dificuldades, e muitos são os desafios, onde, todo vocacionado deve abrir mão das coisas que não são necessárias.

E enfatizou, que o período vocacional não deve ser apenas em agosto, mas todos os dias de nossa vida. E concluiu seu testemunho dizendo: Vocação acertada, vida feliz.

Terminado esse primeiro momento, foi celebrado uma Santa Missa, presidida por Dom Josafá Menezes da Silva, Arcebispo Metropolitano, o qual teve por concelebrantes, Pe. Alexandre Márcio, Pe. Uatos Pires, Pe. Frenilson da Conceição e o Pe. Chaybom Ruffino, CSS.

Em sua homilia, o Metropolita, á luz dos textos da Liturgia do Dia, dando enfoque ao aspecto do Serviço, também recordou que Homem e Mulher, Deus os criou à sua imagem e semelhança, e que por isso, a ideia da submissão apresentada na Carta Paulina, não deve ser compreendida como uma opressão, ou tampouco, como uma anulação, mas sim, como uma cooperação, rumo a Cristo.

Continuou, repetindo as Palavras de São Pedro, Senhor, a quem iremos ? diante todo o Sermão de Jesus, onde Ele se apresenta como o Pão da Vida. Jesus quer que os seus discípulos assimilem sua vida, como se Ele fosse um alimento que nutrissem e nos tornem uma só coisa com Ele e manifestemos sua pessoa.

Terminada a Celebração Eucarística, o Pe. Uatos fez um momento de agradecimento, recordando a todos os presentes as palavras do Papa Francisco aos jovens, motivando-os a irem ao encontro de Jesus Cristo.